terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Silêncio

Eu ligada à natureza e no movimento das estações que se calam pra renascer em folhas. Procuro me aquietar para renascer em versos e prosas. Tudo aceso em mim, um silêncio grita pra que eu entenda esse movimento constante de me proteger dos ruídos.
Sou feita de emoções, muito barulho me leva a uma grande confusão interna. Preciso da paz da madrugada apenas para brotar em palavras e extravasar o perfume que exala os contos, os cânticos, os romances. Essa é uma necessidade muito particular de me enclausurar para voltar com mais clareza e enxergar almas com mais amor.


Denise Portes

6 comentários:

Néia Lambert disse...

Denise querida, sempre acreditei no poder do silêncio que purifica, renova e transforma a alma.

Um beijo
Néia Lambert

Bloguinho da Zizi disse...

Denise
Por vêzes chego aqui e fico sem palavras, só o silêncio se manifesta.
Já vim aqui 3 vêzes, leio, reflito, vou embora, volto.
Você me põe em silêncio.

Leo disse...

Eu também tenho essa necessidade, de me enclausurar e voltar renovado,com mais clareza...adorei esse texto Denise. também falei de silêncio, mas do ponto de vista da solidão.

Um beijo, querida!!
saudades tuas.

Simples de coração disse...

Essa é a beleza da arte, de quem faz arte...Nosso silêncio grita mais que qualquer gritaria... :D

Beijos!

Regina Guedes disse...

É verdade... o silêncio pode ser mais barulhento do que muitos ruidos externos! Beijinhos

Patrícia disse...

É incrível como me identifico em seus versos...
Fico feliz em conhecer mais gente como eu.

Beijo