sábado, 5 de fevereiro de 2011

Por um segundo.

Eu vivo por um segundo,
Um segundo de amor, de afeto, de falar muito ou ser discreto.
Não me iludo em minhas tempestades internas,
Nem nos meus dias de sol.

Eu vivo por um segundo.
Pois é assim que tudo acontece.
Vou guiada pela lua, meu turbilhão de emoções.
Sigo intuições.

Eu vivo por um segundo.
Não sei fazer diferente, nem se quisesse conseguiria.
É um jeito de corpo, um trejeito da mente.
Um borbulhar insano esse viver por um segundo.

Denise Portes

7 comentários:

Néia Lambert disse...

Denise, por um segundo, um dia, eu passei por aqui e foi o suficiente para que eu me encantasse com essa sua forma de viver, sem nenhum limite de emoção.

Um beijo
Néia Lambert

Andréia souto disse...

Denise, lindo poema, linda inspiração, por muitos segundos, li e reli.

Abraço

Patrícia disse...

Como sempre, adorei.
Me vejo em suas palavras.
E vamos vivendo por um segundo, porque o agora é o que temos!
Beijo

Carolina disse...

Se tivéssemos mais consciência da enormidade do efeito do segundo,algumas ações congelariam ou melhor, não aconteciam.

bjão

Wanderley Elian Lima disse...

Olá menina
E tudo pode acontecer em um segundo. A vida ou a morte.
Bjux

Bloguinho da Zizi disse...

Seja o que for que tenha sido vivido em um segundo, foi vivido.
Há quem viva uma vida inteira sem saber o que viveu num segundo.

Sil disse...

e não há dinheiro que faça cada segundo voltar...por isso tem de ser bem vivido.