quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Trapezista

Se em mim tudo mexe e remexe numa confusão de sentimentos. Se me faltam palavras no meu sentir e se a angústia me afoga e me sufoca. Ah, eu invento um mundo, escrevo um texto, crio um personagem e mergulho nesta maré de sentimentos. Nado com braçadas largas em busca da minha alegria e ninguém disse que é fácil. Essa é a função do equilibrista que quer chegar em algum lugar, eu acho.

Denise Portes

4 comentários:

Néia Lambert disse...

É isso, com braçadas bem largas logo você chega, avante!

Um beijo
Néia

'Lara Mello disse...

É.. também me acho.. Bju!

Andressa Tavares Braga disse...

eu precisava ler isso hoje.
Obrigada por sua interpretação.

Andréia souto disse...

Denise, como disse a Andressa, eu também precisava ler isso hoje. Passei o dia inteiro "na corda bamba", meio desajeitada, procurando uma maneira de reinventar um montão de coisas e eu mesma.Verdade, é muito difícil.Cansa.Mas, enfim, "amanhã vai ser outro dia..."

Abraço