segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Fim de Domingo.

E olhando pra aquele fim de tarde de domingo eu expliquei pra ela que se o amor dela não era exatamente do tamanho do meu, não da pra medir amor, eu já havia entendido que era grande o que ela sentia. Afinal é tudo que ela sentiu de maior e hoje cabe muito bem dentro da minha carência. As minhas expectativas se transformaram em amor próprio e me relacionar com o amor do outro ficou mais fácil. O sol desaparecia dentro da água do mar.

Denise Portes

Um comentário:

maite disse...

É assim que entendemos o amor.
Um beijo
Maitê