domingo, 10 de outubro de 2010

Reflexo

Vou escrevendo me encontrando em minhas palavras e lendo e me entendendo nas palavras que os outros me ensinam.
Eu já nem sei mais porque escolhi ser um Mangá, sempre gostei da carinha deles e foi ficando assim. Nas muitas sensações da vida existe um momento que você acha que permaneceu o mesmo por fora. Até que alguém, em algum lugar e em algum momento te diz:
- A senhora prefere esse ou esse?
Não me lembro em que momento isso aconteceu na minha vida.
Hoje aos quarenta e oito anos, eu me sinto muito mais confortável no meu corpo. Não acho graça alguma em esconder idade. Consigo entender que as etapas vão te levando a lugares melhores sempre, em minha opinião esse é o grande mistério da vida. Contudo existe uma criança que permaneceu em mim, um adolescente que vibra com muitas emoções e uma mulher madura que olha para o todo com um compromisso de melhorar. A imagem que reflete no meu espelho é compatível com meu aprendizado. Neste blog eu quero mostrar a minha alma e minhas reflexões. Teve um comentário de uma garota uma vez, que disse que achou que eu tinha quinze anos rrsrs, essa é a idade da minha filha. Eu tenho reflexões infantis, eu pensei.
O mais importante de tudo isso é que o “Delírio da Bruxa” ganhou uma proporção muito maior do que o meu coração esperava.
Conheci pessoas incríveis através desse blog ganhei amigos maravilhosos. Conheci corações virtuais em outros blogs, de vários lugares do país e do mundo. Pessoas que mesmo longe dos meus olhos estão perto do meu coração. O que importa é o reflexo desses corações e quanto à imagem, essa pode vir no dia que eu acreditar que não sou mesmo um Mangá.

Denise Portes

6 comentários:

Franck disse...

Seja o que vc quiser: bruxa, mangá, adolescente, menina, mulher...
Uma boa semana!

Lily disse...

Querida,

Acabo de reentrar no pc. Ainda não li o post atual. Lerei.

Mas, vim aqui lhe dizer, pois eu estava lendo o teu perfil. Sou leonina com ascendente em Leão, você, aquariana, mas tudo a ver nós duas. Só não sei andar de bicicleta (e nem quero aprender) e não nado no mar porque o mar me apavora. Entro nele, mergulho, mas não nado. O resto, tudo igual. O som da digitação, a lembrança do pai, estar acordada enquanto todos dormem, o mar, o francês (por que eu não insisti em aprender a Língua?) que acho a Língua mais bela e sensual... nossa... tantas coisas...

Beijos!

Regina Guedes disse...

A vida nos aproxima de muitas pessoas. Algumas dessas pessoas são especiais e com um coração transbordando de emoções. Você tem um dom maravilhoso que nos encanta. Qualquer imagem que você desejar ter, no espelho da alma, você poderá ter (e deve aproveitar)! Pois isso é pura emoção.
Adorei você ter me convidado a ler este texto em especial. Me senti recebendo um lindo presente.
Obrigada pelo seu carinho. Beijinhos

Lily disse...

Denise,

Com certeza, tu não és um mangá!
Mas, se assim deseja, se assim é mais confortável ou belo, permanece então mangá. Não importa mesmo. Importam as palavras, o sentimento aqui neste mundo em que adotamos - meio que paralelo.

Tenho duas casas: O MEDO DE SUZANA (verídico) E CONTOS DE LILY (ficção). Nas duas, deixei um texto LILY INVADE (mês de julho), onde descrevo o nascimento de Lily e o encontro das duas, Suzana e Lily, com os vizinhos blogueiros. Quando tiver um tempo, dê uma lida, creio que tu irás gostar.

O Blogger.com retirou a informação de idade, nem sei a razão, mas tenho 44 anos, então nascemos em datas próximas.

O nome LILY: em O MEDO DE SUZANA, no texto ANTES, UMA CARTA PARA DR. J, primeira publicação, você entende parte da minha história, a razão do nome do Blog, o motivo de eu estar morando nos EUA.
LILY significa lírio, em inglês. Quando criei os Blogs, já havia Contos de Suzana, daí o nome, porque Suzana é originado do Hebraico e significa "pura como o lírio".

Gostei do teu texto. Gostei da franqueza, da sinceridade. Criança? Você, mangá. Eu, LILY.

Li em algum lugar que aquarianos e leoninos são a própria atração na Terra. Atração fatal, rs!

Beijos!

Suzana/LILY

Néia (Dulci) disse...

Oi Denise, tão bom num finalzinho de domingo ler esse seu texto.
Também tenho quarenta e oito anos, digo-lhe que se de vez em quando eu não fosse um pouquinho criança, adolescente e também mulher madura a minha vida não teria sentido. É nesse vai e vem de idades, um pouco lá, um pouco cá que vou balanceando as fases e achando gosto de viver. Gosto de pintar as madeixas, não para esconder a idade, só para melhorar um pouco a auto estima, porque a idade verdadeira a gente traz é na alma.
Concordo também com o que vc falou sobre essa troca de emoções, muito bom, só entende quem caminha por aqui com a gente.
Um beijo.

'Lara Mello disse...

Nossa! Prazer em fazer parte disso aqui..Bju!