terça-feira, 29 de novembro de 2011

Desilusão

Esses dias nublados em que o céu fica todo molhado, o olhar meio perdido, a vida meio embaçada e eu longe de você. Os pingos misturados ao vento frio que sopra do mar. Como um filme costurado de um sentimento estranho eu não sinto mais você. Não existem mais lágrimas no escuro e nem gargalhadas no ar. Meus guarda chuvas internos não me permitem te ver. Até escrever um poema eu não consigo mais se ele for para você.
Denise Portes
Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.
Fernando Pessoa

8 comentários:

remall disse...

perfeito !
perfeito !
perfeito !

Alice disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alice disse...

E a coragem, onde a gente encontra?

Andressa. disse...

Esses dias eu estou desiludida também...
E como sempre você com essas palavras,
se cuida minha querida

Alê disse...

Denise,


O sol sempre é mais intenso, depois do temporal


Bjks

Calu disse...

às vezes é bom comemorarmos nossos guarda-chuvas internos, eles nos protegem quando menos esperamos.
Bjos,
Calu

Fátima disse...

Oi Denise,

E assim somos,sentimos, agimos e crescemos, há muitos vazios nessa vida e tanta alma pra ser preenchida.

Sigamos
Beijo meu

Maitê disse...

Meu conselho: "Fecha o guarda chuva interno e deixa o sol entrar."
Beijos
Maitê