quinta-feira, 23 de setembro de 2010

O Amor.

Os encontros de alma são sempre encontros de amor. Uma linha fina, quase um trapézio para se andar. Nem sempre a alma que nós amamos nos ama do mesmo tamanho, com a mesma intensidade e com as mesmas entregas. Muitas vezes eu me pergunto se o mistério de amar seria esse equilíbrio que jamais compreendemos.
Cobranças que fazemos, achamos que se fulano me ama tem que ser assim. Amar é mais sublime, mais harmônico e bem mais intenso. Essa linha delicada e sutil de encontrar almas que admiramos a doar a elas o nosso mais puro amor, o resto não importa.
Amor de verdade resplandece, cresce, melhora e faz copa pra tudo que é de bom pousar. Eu acho...
Denise Portes

11 comentários:

Franck disse...

Eu quero um trapézio, uma roda gigante, uma corda bamba...
Uma noite linda!

disse...

Os encontros de almas... eu acredito. E qdo acontecem são eternos.

Bjos Denise!

Vivian Mont'Alverne disse...

Lindo! Concordo em gênero, número e grau. Hihi :)
O amor é algo mais. O amor não tem limites. O amor é essencial. O amor não exige tanto. As almas se cruzam, virando uma só.

Paula disse...

Eu tb acho! mas de vez em qdo os homens poderiam ajudar neh!?
Ou pelo menos crescer/amadurecer mais rapido... :/

Beijos Denise.

José Carlos Brandão disse...

Somos funâmbulos em busca do equilíbrio perfeito, ideal.
Beijo.

Wanderley Elian Lima disse...

O amor não se explica, ama-se. Simples assim.
Bjux

Leo disse...

lindo!

amor, ai ai né? rs
faz sonhar demais de bom!

Beijos, Denise...

me perdoe pela ausencia de alguns dias, tenho tido tempo apertado.

Ni ... disse...

Sempre é bom demais sentir o amor transbordando...

Beijo e mais beijos

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Denise
Obrigado pela correção em meu texto, não havia percebido o erro. Comi o H com farinha rsrsrsrs
Bjux

sabriina ' disse...

" Nem sempre a alma que nós amamos nos ama do mesmo tamanho, com a mesma intensidade e com as mesmas entregas. "

Néia (Dulci) disse...

O encanto do amor está justamente na sua inexplicabilidade.
O que seria dos poetas se amar fosse simples?
Beijos