sábado, 16 de abril de 2011

Amor

Eu não perguntei nada quando eu te encontrei a primeira vez.
Era um sorriso e uma energia que emanava entre a gente.
É sempre assim quando distraídos esbarramos num amor, seja ele qual for.  É distraída que recebemos um filho em nossos braços sem saber o que fazer com tanto amor. É também distraído que amamos nossos pais, os nossos amores, quando temos o privilégio de encontrá-los em nosso caminho. E o que distrai e invalida o amor? É quando dele nos apossamos como se ele jamais pudesse fluir, como se tivéssemos a certeza que somente porque ele nos tocou, ele se tornou nosso. O amor é algo sublime, misterioso como um disco voador e encantador como um conto de fadas. Ele não nos pertence conscientemente, ele acontece, mas se instala como um posseiro, dentro do nosso coração.  Qualquer explicação é inútil, por ser amor invadi e fim.

Denise Portes

2 comentários:

RosaMaria disse...

Se tiver uma explicação, não é amor!

Porque o Amor foi feito pra sentir e não para justificar.

Beijos minha amiga
Bom final de semana.

@monnielobo disse...

ahh, lindo texto :)