quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

O Nascimento Do Brown

Minha mãe veio passar uns dias aqui no Rio e ficamos relembrando velhas histórias de infância. Incrível como que para as mães os filhos jamais crescem. Até hoje ficamos deitadas na cama conversando da vida e dessa vez falamos, entre outras coisas, do “nascimento do Brown, o meu anjo da guarda.”
Eu fui uma criança muito medrosa e o meu medo era de fantasma. Eu tinha um bambi de feltro verde que ficava em cima do meu armário do quarto. Durante o dia ele era meu amado brinquedo, porém à noite eu cobria a cabeça com o cobertor sem deixar nenhuma fresta para passar o ar. Certa noite, minha mãe acendeu a luz do abajur e foi tirando aquelas cobertas de cima de mim, até me encontrar suada e trêmula e tivemos uma longa e inesquecível conversa. Ela me contou que cada um de nós vem a terra com uma missão e que para sermos ajudadas a cumprir essa trajetória por aqui, Deus nos manda junto com um anjo da guarda.
Esse anjo está do nosso lado em todos os momentos, nos zelando o sono e melhorando os nossos dias. Eles são seres mais evoluídos espiritualmente e como tal podem nos ajudar muito nos momentos difíceis.
-Na hora da prova? Perguntei.
-Também, ela respondeu sorrindo. Você pode vê-lo durante o sono, nos seus sonhos e também se fechar os olhos.
Quando ela terminou de me contar sugeriu que eu fechasse os olhos e descrevesse para ela como era o meu anjo da guarda e como era o nome dele. Foi nesse momento que pela primeira vez eu vi o Brown, muito lourinho de olhos azuis e andando numa praia. Ele veio em minha direção e nos abraçamos.
-Ele gosta do mar, como você. – Disse-me mamãe.
O mais engraçado é que sempre vi o Brown do meu tamanho e ele era ainda uma pequena criança. Hoje eu o vejo mais jovem do que eu, mas ainda me da força por todos os momentos em que eu me sinto sozinha.

Denise Portes

7 comentários:

.:*Aline*:. disse...

Ai que lindo, Denise. As mães são mesmo incríveis, não eh?! Conseguem trazer suavedade nos momentos mais difíceis. Nos dão força, coragem e confiança. Acho q nossos verdadeiros anjos da guarda são elas. Adorei a história.
Bjus

Maitê disse...

Denise,
Eu já pedi para o Brown dar uma força pra você me perdoar kkk.
Um beijo
Maitê

Afetos e Ofertas disse...

Também acredito que tenho anjos da guarda comigo, mas acho que tenho mais de um, nao sei porque, sinto isso.
Imagino que eles sejam alegres, divertidos, às vezes meio atrapalhados...acho que riem mt de mim e, às vezes, gostariam de me "matar", mas me socorrem sempre.

Bjs
Nana Andrade

Gaby Soncini disse...

Que lindo Denise *.*

Mamães, anjos, diálogos de amor...Sempre, sempre e sempre!

Beijos!

Bloguinho da Zizi disse...

Denise
Coisa boa te ler.
Que MÃE a tua! Linda!
Eu também aprendi a rezar para o meu anjo da guarda, mas nunca fui tão orientada quanto você.
Mas te digo uma coisa, quando estou perdidinha e com o meu anjo lá...esquecido, tem um certo pássaro que frequenta as árvores aqui na vizinhança e ele começa a cantar. Daí me lembro que é o meu anjo dizendo:
- Oiiiii, tô aqui, esqueceu???
Não me pergunte como começou essa comunicação, só sei te dizer que não foi quando criança e sim há bem pouco tempo atrás.
O bom é que ele sempre dá uma passadinha pra não correr o risco de eu esquecer dele novamente.

Santos Anjos do Senhor!!!

beijinhos

Na disse...

Adorei conhecer a história do Brown, Denise... Seu blog às vezes +e uma terapia pra mim... Beijos

'Lara Mello disse...

Lindo, amo o Brown! ♥