terça-feira, 10 de maio de 2011

Para o meu pai.

O bailar de tuas asas, o encanto do teu afeto, essa forma de sentir a vida de um jeito entregue e discreto. Tudo muda no meu olhar quando olho com seus olhos, o dia cinza, a chuva fria se transformam numa paisagem de alegria.
A vida segue meio diferente do que você me contou, mas essa alma de poeta, essas filosofias de botequim, esses casos que são contados do começo até o fim. Meu pai, meu amor, esses foram você que contou pra mim.

Denise Portes

5 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Existem coisas que a gente nunca esquece, principalmente contados por quem amamos.
Bjux

'Lara Mello disse...

De meu pai não tenho muito o que contar, mas já você.. Parece que teve o melhor pai do mundo.. Sorte!

•Ø£hö§ ðë Gµë¡xå • disse...

Tão bom ter doces lembranças de quem amamos. bjos

Mi Satake disse...

E são preciosidades q guardamos trancadinhas no nosso bau de recordações. Bem guardadas!

Super bjo

Confissões de uma borboleta disse...

As verdades eternas, os tesouros guardados...Nem imaginava talvez assim quando o ouviu contar...