sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

A fazenda

A vida é tão rara e as pessoas tão diferente, quando pequena eu ia pra fazendas no interior de Minas. Meus pais tinham criação de gado, a terra era boa, era tudo azul todos os dias.  A luz de vela o meu pai contava histórias de gente grande. 
Eu e meu irmão levávamos amigos e a festa era de carinhos entre os frequentadores do fim de semana. Banhos de cachoeira, piscina, sol e montanhas. A risada dos adultos e o cheiro de café. Quando faltava luz a lua iluminava as montanhas e as estrelas iluminavam o céu. Vez ou outra caia uma estrela do céu e fazia um caminho azul até a terra, nesta hora minha mãe dizia: "Façam um pedido".
Nós fechávamos os olhos e sonhávamos com desejos tão próximos que a estrela cadente trazia pra cada um. Tudo funcionava divinamente em volta do fogão de lenha e do cheiro de pipoca que estourava na panela de barro. Tudo tinha uma cor, tudo cheirava a esperança.

Denise Portes

3 comentários:

ૐ 'Priscylα disse...

São essas coisas simples que fazem uma grande diferença em nossa vida :)
Beijos Denise.

Néia Lambert disse...

Denise, quando as lembranças são da infância, explica-se então todo o encanto. Um tempo bem vivido tem odor e sabor gravados na memória para sempre!

Beijos

Néia Lambert

Gislane disse...

Essa simplicidade é o que nos torna cada vez mais humanos em nossa humanidade!!!

bjos