quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Tempo, és um Senhor tão bonito.


Longos são os meus desejos e plenos os meus sonhos de alcançá-los. O tempo anda ficando cada vez mais urgente, não pelo mundo que ameaça acabar todos os dias, mas também pelos amigos que já partiram e o mês de dezembro que está preste a iniciar. 
Que balanço é esse no findar de mais um ano? Quando criança, dezembro era o Natal, a ceia, o papai Noel, a família unida, agora ele é a correria, o consumismo. O tempo urge em nos avisar algo. Que Deus nos dê coragem, que a vida trace a sua estrada e que nos possamos entender a nossa viagem, a missão do viemos fazer por aqui. Não importa os credos, alguma sensação paira no ar. 
Eu me agarro ao meu lar, aos meus amigos e minha família é o escudo de amor. Firmo os meus pensamentos a força superior que nos protege. É cada vez mais afunilada a certeza de que o tempo anuncia a transformação dos olhos e da alma. Não é o relógio que anuncia isso, mas a percepção de que tem que sair do play e enxergar que somos filhos do mesmo sol e da mesma lua. 
Vamos iluminar com o nosso brilho e sentir que existe esperança de transformação para um sermos melhores. Assim é se assim lhe parecer.

Denise Portes

2 comentários:

Bloguinho da Zizi disse...

Denise
Dezembro era um sinal de tanta alegria e como vc mesma diz virou correria.
Quando entrava Dezembro as lojas começavam a passar pela grande transformação que traziam algo diferente, como se uma nova esperança fosse lançada no ar. Um novo ano estava a caminho.
Eu lembro da emoção em montar a árvore de Natal.
Hoje, em pleno Outubro, as lojas ávidas pelo consumidor, começam um show sem graça que não me diz mais nada senão consumo.
Mas vou aqui montando minha árvore, meu presépio, colocando meus piscas, enfeitando minha porta, para ver se ela alegra a vida de quem passa e olha para dentro.
Quem sabe alguém sente o amor com que faço tudo isso e entenda que a data é especial sim, para quem tem amor no coração. Quem sabe a esperança se espalhe .... e então o mundo não mais ameaçará acabar.
beijinhos

Mari Rehermann disse...

É verdade, Denise...agora, dezembro é sinônimo de estresse e correrias. Ainda nem montei minha árvore, monto sempre no dia 01/12, pois tento deixar essa magia natalina para dezembro! É mesmo uma pena ver as pessoas assim, pensando em consumir, comprar, comprar, aparecer...por isso, entro sempre o Natal na casa dos meus pais, onde ainda existe espírito natalino, com prece para Jesus a meia-noite, ao pé da árvore, e apenas umas taças de champagne para simbolizar a alegria...as festanças, deixamos para o dia 31!!

Beijinhos!!♥