sábado, 24 de março de 2012

A janela da alma.

A vida algumas vezes me dói como a estação do outono. Ela me seca a alma. São momentos de penumbra, quando participamos da morte dos amigos, da tristeza de quem perde a mãe, pai, filhos. Pessoas que fizeram parte da nossa vida e da nossa história. Ai como dói à realidade destes momentos de separação. Eu me recuso a compactuar com as amarguras de quem quer se achar velho, reclamar da vida, quando ela ainda flui tranquila. Acender a luz e através da janela da alma encontrar esperança é um exercício. Eu busco sorrisos, para que com a minha alegria eu possa abrir caminhos e seguir em paz. A vida é efêmera e não há o que fazer, mas podemos ser feliz é uma questão de opção.

Denise Portes

3 comentários:

remall disse...

e estar aqui e ser feliz eh o que importa.
Devemos ter em mente que, a vida eh simples, eh natural, conhecemos seu comeco e seu fim, e nos que escrevemos a lacuna entre essas certezas.

Bom fds

Patrícia disse...

Concordo contigo. As perdas são difíceis e não podemos fazer nada para mudar esse fato. Mas podemos mudar a forma como encaramos a vida e o melhor a fazer é aproveitar cada momento, desde o simples cafezinho que saboreamos ao acordar ao beijo de quem se ama.
Bom fds!
Beijo

Andressa Tavares. disse...

E é lindo quando decidimos ser feliz *.*