terça-feira, 14 de dezembro de 2010

O Meu Caminhar.

Nem sempre o que escrevo é o que estou sentindo. A minha direção, muitas vezes, me leva a caminhos tortuosos para que eu entenda o que procuro. A viagem interior também tem seus labirintos, seus horizontes e suas curvas. Não quero me desvendar, quero apenas fluir e sentir a melodia do meu ser mais profundo. Não busco mais explicações para o meu caminho, apenas sigo e sinto e me alegro, ou me entristeço. A maioria das vezes, eu busco as cores e os melhores sabores de existir. Porém os momentos tristes, assim como os felizes, não são eternos. Então me deixe ir preciso andar. O que sinto mais necessidades é de ser poeta e eternizar sentimentos em poesias.
Denise Portes

8 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Nada é eterno. Devemos curtir os momentos felizes, e aprendermos com os momentos tristes, tudo serve como experiência.
Bjux

Richard Mathenhauer disse...

... e mesmo porque, "não há caminho, o caminho se faz ao andar". Que vem depois da curva? Estar sempre alegre não nos faria enjoar da alegria? Caminhando, sempre, que o caminho se faz ao andar.

Abraços,

LILIANE disse...

momentos tristes e felizes não são eternos
ainda bem.
tudo vai se transformando.
beijos

Eliana Lee disse...

...os momentos tristes, assim como os felizes, não são eternos.
Adorei este post! Sinto o mesmo, tantas vezes... e fico procurando me lembrar que nada é pra sempre!

'Lara Mello disse...

sei como é..Apesar de eu falar mas sobre mim mesma! Sorte

Bloguinho da Zizi disse...

E o que sinto em minha alma ao te ler é que parece que falas como eu gostaria de falar um dia.

Teresa Cristina disse...

Oi Denise, que linda reflexão...e a imagem inspira o que você descreveu. Não há cartas marcadas na vida e as coisas mudam, passam...beijos querida.

Néia (Dulci) disse...

Denise querida essa sua busca incessante pelas cores e sabores do existir é o que marca fortemente suas poesias.
Um beijo com carinho.
Néia