segunda-feira, 15 de agosto de 2011

As Cartas.

No interior, o carteiro passava em uma determinada hora e era uma delícia receber uma carta que vinha de longe. Ela mexia com a sensibilidade, compartilhar as palavras que pouco a pouco iam banhando de emoção aquele momento. Fantasiar cada palavra, que estava no coração de quem te escreveu algo há três ou quatro dias. Eu criava um filminho em minha cabeça com que foi escrito e sentido por outra pessoa, que me mandou aquela mensagem, envelopada, selada e jogada dentro de uma caixa postal. Eu troquei muitas cartas na juventude. Aos onze anos eu recebi a minha primeira carta de amor, do meu namorado que morava na mesma cidade. Sem coragem de pedir desculpas ele me escreveu. Eu guardo entre as lembranças mais preciosas da minha vida. Feliz o tempo em que a sensibilidade perpetuava através dos dias e que as fantasias seladas em versos viam tocar o meu coração alguns dias depois.
Denise Portes

*Esse texto faz parte do projeto "Dois Olhares" de Denise Portes e Néia Lambert http://www.eternosim.blogspot.com/ *

7 comentários:

Angélica Lins disse...

Belo!
Beijo
=D

Bloguinho da Zizi disse...

Denise
A internet faz com que tudo hoje, fique bem mais rápido.
Mas, láaa no meu tempo de menina e adolescente, o correio era tudo pra mim. Escrevia muito, mas muito mesmo, era uma infinidade de cartas, pra família, pros amigos, por aqui e lá, bem longe.
Tenho tentado resgatar isso e, me surpreendi com o resultado. As pessoas se mostraram surpresas e felizes, como se um carinho diferenciado chegasse dentro de um simples envelope.
E eu mais feliz fiquei.
Hoje a caixa do correio basicamente tem contas pra pagar e propagandas, mas a caixa de e-mails compensa. Ainda sim há uma troca de carinho.

Beijinhos e ótima semana.

Néia Lambert disse...

Denise, as cartas são lembranças de um tempo bom, a imagem da sua primeira carta de amor recebida é magnífica, amei!

Um beijo, com carinho.

Néia Lambert

Afetos e Ofertas disse...

Oi Denise, querida,
sim quem não gosta de receber carta, parece que vem um pedacinho da outra pessoa, vem o toque, a letra, e tanta imaginação...trocamos tudo isso por e-mail, scrap, mensagens que tn tem suas vantagens...mas o que traz é sempre a padronização da tecnologia..

bjs com carinho
Nana Andrade

jose vitor lemes disse...

Nossa atualidade é urgente, emerge-se pela rede, nela vamos adaptando, colocando intimidade redor ao da vaidade — é verdade que a internet é fantástica, mas, vez e outra assustam, e, certo é que sentimos perdas, carinhos que jamais serão os mesmo…
Gostei dos teus escritos,

Malu disse...

Este textos fez-me recordar o qanto as cartas moviam a VIDA da gente... o quanto se esperava por uma notícia por dias, de uma pessoa querida, de uma amada, de um amigo...
A VIDA girava com magia e calmamente. O tempo não corria simultâneo e desenfreado...
Hoje nos restam apenas lembranças.
Tenho algumas guardadas por aqui.
Abraços

Valéria disse...

Oi Denise!
A mágica do receber uma carta, de esperar o carteiro infelizmente se foi com o advento da internet e das redes sociais. Hoje carteiro só traz contas.rsss
Faz muiiiito tempo que não recebo uma carta!

Beijos!